Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » » Polícia Federal atribui propina de R$ 2 milhões da OAS ao senador José Agripino (DEM-RN)

Relatório da Polícia Federal atribui propina de R$ 2 milhões da OAS ao senador José Agripino (DEM-RN). A PF vê envolvimento do parlamentar e do empreiteiro Léo Pinheiro em irregularidades no financiamento do BNDES destinado a obras na Arena das Dunas, estádio em Natal para a Copa de 2014.
A Polícia Federal concluiu nesta segunda-feira, 21, o inquérito 4141 do Supremo Tribunal Federal, instaurado para apurar eventual participação de recebimento de vantagens indevidas por parte de um senador da República.
Em nota, a PF informou que a investigação apurou a participação do Senador pelo Partido Democratas, José Agripino Maia, ‘na solicitação e recebimento de vantagens indevidas da empresa OAS em troca de seu auxílio político na liberação de recursos de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social -BNDES direcionados à construção da Arena das Dunas, em Natal/RN, no ano de 2013’.
O recebimento das vantagens ilícitas se deu tanto por meio de doações eleitorais oficiais, que foram direcionadas ao diretório, como por meio de repasses em espécie, que transitaram por contas do próprio investigado e também por contas de familiares, entre os anos 2012 a 2014, totalizando a quantia de pelo menos R$ 2 milhões.
A Polícia Federal informou que a investigação baseou-se no resultado da análise de mensagens de texto extraídas do celular de José Adelmário Pinheiro Filho, bem como nas informações colhidas na delação premiada do doleiro Alberto Youssef e do carregador de malas Rafael Angulo Lopez, além do exame de mais de mil páginas de documentos, a inquirição de diversas pessoas, quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados. (Com o 247)
Abaixo, reportagem da Reuters:
(Reuters) - A Polícia Federal indiciou o senador José Agripino (DEM-RN) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro devido ao recebimento de propina da empreiteira OAS em troca de auxílio político para liberação de recursos do BNDES voltados à construção da Arena das Dunas, em Natal, para a Copa do Mundo de 2014, informou a PF na noite de segunda-feira.
"O recebimento das vantagens ilícitas se deu tanto por meio de doações eleitorais oficiais, que foram direcionadas ao diretório, como por meio de repasses em espécie, que transitaram por contas do próprio investigado e também por contas de familiares, entre os anos de 2012 a 2014, totalizando a quantia de pelo menos 2 milhões de reais", disse a polícia em comunicado.
Além do senador, que é o atual presidente do DEM, também foram indiciados pela PF o ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro Filho, o Leo Pinheiro, e Carlos Thompson Costa Fernandes, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte à época dos fatos.
Segundo a Polícia Federal, a investigação teve como base depoimentos em delação premiada do doleiro Alberto Youssef e de seu sócio Rafael Angulo Lopez, além da análise de mensagens de texto extraídas do telefone celular de Leo Pinheiro, quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados e depoimentos de diversas pessoas.
Por ter um senador da República entre os alvos, o inquérito corre dentro do Supremo Tribunal Federal (STF).
Não foi possível fazer contato de imediato com os indiciados.
A construção do estádio de Natal para a Copa do Mundo, que custou cerca de 400 milhões de reais, também é alvo de outra investigação da PF que resultou na prisão em junho do ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB).

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply