Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » » Veja quais são os quatro "Trump" brasileiros que irão disputar a eleição de 2018 para presidência da República, segundo a Bloomberg

Palácio do Planalto
Ainda é difícil acreditar e ter certeza, mas as eleições para presidente em 2018 prometem ser uma das mais diferentes que o Brasil já teve. Em matéria publicada nesta terça-feira (17), a Bloomberg destacou - sob o título "Brasileiros querem seu próprio Donald Trump" - o cenário político do país e como ele se assemelha ao que os Estados Unidos passou recentemente com a eleição de Donald Trump, onde a população demonstra claramente que quer uma pessoa diferente, que não faça parte deste universo - pelo menos não dos discursos tradicionais.


Citando um assistente de cozinha de Brasília, Jefferson Santos, a publicação americana diz que o "Brasil está desesperado por um líder 'de fora da política'". "O país é uma bagunça. Precisa de alguém para limpá-lo", disse ele em entrevista. O texto destaca não só a falta de um nome forte politicamente, mas os problemas vividos por alguns integrantes deste meio, como Lula e as investigações com a Lava Jato, Dilma e o impeachment, ou mesmo a impopularidade de Michel Temer.

"O Brasil está passando por uma crise de representação - os eleitores não se sentem representados por seus políticos", disse Alessandro Janoni, chefe de pesquisa do Datafolha para a Bloomberg. Segundo a publicação, qualquer pessoa com suficiente reconhecimento e dinheiro pode lutar para acabar com a frustração nacional e ser capaz de competir com os políticos mais tradicionais nas eleições.

E é neste cenário que a matéria lembra de quatro nomes que circulam como possíveis candidatos. O primeiro é o do deputado Jair Bolsonaro, que tem ganhado apoio por conta de seu estilo próximo ao de Trump, com declarações bastante polêmicas. Apesar de estar no meio político, ele foge do estilo tradicional, ganhando força no cenário atual.

O segundo é do atual prefeito de São Paulo, João Doria Jr.. Também comparado com Trump por ser um empresário, ele, por outro lado, já se mostrou não ser fã do presidente americano. "Eu não me identifico com ele", declarou na imprensa uma vez. A Bloomberg lembra da vitória ainda em primeiro turno de Doria em São Paulo, e, apesar de ele não ter falado nada sobre presidência, aliados já começam a se animar com a ideia.

Na sequência, outro apresentador da versão brasileira do reality show O Aprendiz também é colocado na disputa: Roberto Justus. A matéria lembra uma frase dele em entrevista que mostra um discurso aliado ao que a população busca: "precisamos tirar a gestão do país das mãos dos políticos". Justus não costuma ser muito polêmico, mas é conhecido por ser um homem de negócios, e a Bloomberg destaca que este é o perfil que chama atenção no atual momento político do país.


Por fim, o texto lembra Roberto Miguel Rey, o cirurgião plástico também conhecido como Dr. Hollywood. Ele já demonstrou sua intenção de concorrer à presidência, mas quando entrou na disputa pelo Congresso acabou sendo derrotado. "Vou oferecer esperança a esta geração", disse ele recentemente. Atualmente, ninguém lembra muito desta possibilidade, mas a Bloomberg encerra o texto destacando o que Santos disse em sua entrevista: "Ninguém deve ser descartado neste momento [...] Pelo menos ele poderia tornar o país mais bonito". (Do Infomoney)

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply