Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » » » Inacreditável: Ronaldo Caiado (DEM) quer que escola de samba seja investigada por prestar homenagem aos índios

Líder da bancada ruralista e com família na lista negra do Ministério do Trabalho por fazer uso de mão de obra análoga à escrava, o senador Ronaldo Caiado (DEM) acha que um enredo de escola de samba merece uma investigação parlamentar por tratar da questão indígena apontando os abusos praticados pelo setor do agronegócio. Segundo reportagem do Justificando, Caiado propôs uma audiência especial para investigar quem financia a Imperatriz Leopoldinense, que no Carnaval 2017 do Rio de Janeiro vai entrar na avenida com o enredo "Xingu, o clamor que vem da floresta".

Por Patricia Iglecio
O samba-enrendo da Imperatriz Leopoldinense vem causando incômodo no setor do agronegócio brasileiro. Com o tema “Xingu, o clamor que vem da floresta”, a música é uma homenagem e um grito de guerra da luta pela preservação da floresta e da cultura indígena e fará parte das apresentações de carnaval de 2017 no Rio de Janeiro.

“Sangra o coração do meu Brasil. O belo monstro rouba as terras dos seus filhos, devora as matas e seca os rios, tanta riqueza que a cobiça destruiu!”, diz o samba que homenageia os indígenas foi visto como uma ofensa ao agronegócio, causando reação de ruralistas e setores da mídia.

Um exemplo de retaliação aconteceu hoje, 12. O senador Ronaldo Caiado (DEM) afirmou que vai propor no Senado uma sessão temática para “para discutir, debater e descobrir os financiadores da Imperatriz Leopoldinense e os interesses em denegrir o agronegócio”. “Com tantos problemas no país, que sofre com traficantes, bicheiros e facções, causa perplexidade uma escola de samba atacar o agronegócio, orgulho do País, que é o único setor que gera tantos resultados positivos”, disse Caiado.

Vale lembrar, rapidamente, quem é este senador. Grande líder da Bancada Ruralista, sua família está na “lista suja” entre os 91 incluídos pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) da relação de empregadores flagrados com trabalho escravo. Há décadas em posição de destaque na política, Caiado ainda é ex-presidente da União Democrática Ruralista.

Além dele, outros setores ligados ao latifundiário expressaram repúdio ao samba enredo. A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), que cria os gados mais vendidos do país, fez uma nota de repúdio – “ao criticar o agronegócio, o grupo mostra total despreparo e ignorância quanto a história brasileira e a realidade econômica social do país”.


Na imprensa, destacou-se Fabélia Oliveira, apresentadora do programa Sucesso no Campo, da Record Goiás. Em reação à música, escancarou ignorância, preconceito e ódio em rede nacional ao afirmar que índios deveriam morrer de malária. Fabélia acredita que só é a favor da preservação da cultura indígena se eles forem viver “a cultura deles”. 

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply