O trágico acidente aéreo desta terça-feira que causou a morte de 76 pessoas, entre elas, a maior parte da delegação da Chapecoense que viajava para Medellín visando a final da Copa Sul-Americana, comoveu o Brasil todo.

O narrador Galvão Bueno participou da cobertura matutina da Globo desde o "Bom Dia Brasil", mas foi mesmo no "Encontro com Fátima Bernardes" que ele desabou.

Ao trazer as últimas informações da Colômbia, Galvão desabafou com lágrimas nos olhos: "esse é o pior momento que eu vivo em 42 anos de carreira".

O porta-voz da Globo ainda fez alusão ao acidente de Ayrton Senna, em 1994, que morreu durante o GP de San Marino, no autódromo da Ímola, fato que o narrador presenciou in loco.

Assim como aconteceu há 22 anos, quando o então presidente Itamar Franco decretou luto oficial de três dias pela tragédia com o maior piloto brasileiro de todos os tempos, hoje Michel Temer também avisou que o País estará em luto até quinta-feira.

"Sinceramente não tenho mais vontade de fazer futebol neste ano" , acrescentou Galvão, que estava escalado para narrar o segundo jogo da final da Copa do Brasil entre Grêmio e Atlético-MG. A partida, marcada anteriormente para a próxima quarta-feira, foi cancelada pela CBF. (Do MSN Esporte)