Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » » Os maiores responsáveis pela vitória dos tucanos nas eleições de 2016 foram os integrantes da Lava Jato

Por Alex Solnik, no 247
Pobre Temer! Depois de empenhar todas as suas energias e as de seu partido na deposição da presidente Dilma a recompensa que ganha é a vitória do PSDB nas eleições municipais!
Desde maio, quando assumiu provisoriamente, até agora tem servido de saco de pancada, graças às suas inseguranças, à baixa qualidade do seu ministério, às suas propostas impopulares e estapafúrdias e às delações da Lava Jato.
Enquanto isso, os tucanos, seus até agora parceiros, ganham todas as láureas e acabam de ganhar a láurea máxima: foram os grandes vencedores dessas eleições, principalmente na maior cidade do país com a surpreendente e inédita vitória de João Dória no primeiro turno.
O PMDB ganhou em muitas cidades pequenas do país, mas perdeu a maior batalha, a de São Paulo. E perdeu de lavada.
Dória agradeceu a muitas pessoas na noite da sua consagração, mas se esqueceu de agradecer à mais importante.
Dificilmente o PT sofreria as derrotas que sofreu, em São Paulo e no país, não fosse a condução da Lava Jato pelo juiz Sergio Moro, cujo método o transformou no principal cabo eleitoral anti-PT, o que deturpa completamente a função que ocupa.
Por alguma singela razão, Moro dirigiu seus holofotes sobre pessoas ligadas ao PT e ao PMDB, deixando de fora o PSDB. Foram dois anos de bombardeio nos quatro grandes jornais, nas três grandes revistas semanais e na rede Globo exibindo imagens que retiravam políticos das páginas nobres dos jornais para as policiais.
Se seu objetivo fosse buscar justiça deveria ter, desde o início da operação, há dois anos, mandado investigar a gênese da corrupção na Petrobrás e então ficaria claro que ela vinha desde o governo Fernando Henrique Cardoso e que muitos tucanos, é claro, tinham suas digitais no escândalo, o que só veio à luz depois da delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral, em março deste ano.
Ao omitir essa ordem no início, Moro deu contorno político à Lava Jato, mirou preferencialmente no PMDB e no PT, mas sobretudo no PT, fornecendo combustível para o impeachment e para o resultado das eleições de domingo.
Os lances decisivos da Operação Derruba PT foram as prisões de dois ex-ministros da Fazenda dos governos Lula e Dilma, que forneceram novamente manchetes para todos os meios de comunicação disponíveis.
Mas os tucanos deveriam agradecer a Moro sobretudo por ter proibido o marqueteiro João Santana de trabalhar – e ele certamente trabalharia na campanha de Haddad - como lembra sua ex-mulher Lúcia Correia Lima, em comentário no facebook.
Tal como as pessoas que saíram com bandeirinhas verde-amarelas nas ruas queriam derrubar Dilma, não se importando com quem viria em seu lugar, os eleitores de João Dória votaram nele apenas porque demonstrou ser o mais antipetista e o mais capacitado a derrotar o PT.
Os eleitores de Doria não o conhecem, não sabem quem ele é, nem o que vai fazer. Votaram mais contra Haddad do que a favor dele.
E assim como estão mostrando que não morrem de amores por Temer, apesar de ser paulista, se perceberem, no ano que vem, que escolheram o sujeito errado não terão o menor problema em deixar clara a sua insatisfação.
Depois do "Fora Temer" poderá vir o "Fora Dória".

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply