Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » A Lava Jata rejeita as delações premiadas que não incriminam o ex-presidente Lula ou o PT

Os investigadores da operação Lava Jato e a Procuradoria-Geral da República rejeitaram acordo de delação premiada com o ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar, um dos executivos da empreiteira mais próximos de Lula. A versão do executivo, que nega que a reforma no sítio de Atibaia (SP) tenha sido uma contrapartida ao ex-presidente por contratos da Odebrecht como o governo federal, não parece ter agradado à cúpula da investigação.
A versão oficial do grupo da Lava Jato, segundo a Folha de S. Paulo, é de que as informações de Alencar seriam incompletas e de que haveria indícios de que ele protegeria alguns dos personagens de seu depoimento, como o próprio Lula.
"Reservadamente, Alencar tem relatado que um dos fatores que incomodaram os procuradores, por exemplo, foi insistir que Lula, de fato, fez as palestras pagas pela Odebrecht. Para os investigadores, parte delas não foi realizada e há indícios de casos de superfaturamento.
Outro empecilho é que Alencar tem versão contrária à hipótese dos investigadores sobre a empresa Exergia Brasil, do sobrinho da primeira mulher de Lula Taiguara Rodrigues, que foi alvo de denúncia do Ministério Público Federal nesta segunda (10). A Exergia foi subcontratada pela Odebrecht para atuar em obras em Angola. Os empreendimentos contaram com recursos do BNDES." (Com o 247)

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

1 comentários:

  1. É certo que o que querem é punibilizar o LULA para tirarem do páreo em 2018. O LULA não está lá muito bem de saúde e o seu desaparecimento físico pode estar sendo tentado a partir dessas muitas incorreções. O laudo? Dará o proposito enquanto "morte endêmica"... Ora, ora!!!

    ResponderExcluir