Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » » Os motivos para transformar um policial em herói nacional

Centenas de policiais morrem todo ano em serviço, assim como marginais e  jovens negros de periferia.

A morte do policial da Força Nacional no Rio de Janeiro, no entanto, mereceu duas manifestações inusitadas. Do Ministro da Justiça Alexandre Morais, tratando-o como "herói do nosso povo" - designação que se dá a quem tomba no campo de batalha enfrentando inimigo externo. Do interino Michel Temer a decretação de feriado nacional.

Por qualquer prisma, há que se lamentar a morte do soldado. Mas é evidente que há uma vontade no ar de estimular o clima de guerra interna.
Há duas intenções nisso. 

A primeira, de fortalecer o governo recriando o mito do inimigo interno. Funcionou com o PT. Com o PT fora de combate há que se recriar outro inimigo no imaginário nacional.Obviamente  vai sobrar para os movimentos populares.

A segunda, de incentivar as Forças Armadas a retomarem o conceito de guerra revolucionária interna, a fim de afastá-la das relevantes missões que lhe foram conferidas na última década,  da exploração do fundo do mar (com o pré-sal), a guerra tecnológica e a parte aeroespacial, projetos que estão sendo gradativamente retirados das mãos da elite militar e entregues a burocratas.


Resolução recente da ONU determinou que as riquezas do alto mar não serão propriedade territorial de ninguém, mas de quem tiver condições de explorá-las. Não se trata apenas de petróleo mas de um enorme conjunto de minérios. As Forças Armadas estavam empenhada sem fortalecer o pré-sal, no campo da defesa, tendo em vista esse cenário futuro.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply