Os senadores aprovaram a cassação da presidente Dilma Rousseff em votação final do impeachment no plenário do Senado nesta quarta-feira (31). Com isso, Dilma está definitivamente afastada da Presidência da República, e assume o interino Michel Temer. O placar foi de 61 votos pela cassação e 20 votos contra. Não houve abstenções.

A maioria considerou que Dilma é culpada de ter cometido crime de responsabilidade pelo atraso no repasse de recursos do Tesouro do Banco do Brasil no âmbito do Plano Safra e pela edição de decretos de crédito suplementar sem autorização do Legislativo. Eram necessários os votos de ao menos 54 dos 81 senadores -- dois terços. 

A fase final do processo de impeachment iniciou-se na última quinta-feira (25), conduzida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski. Durante dois dias foram ouvidos os depoimento das testemunhas. Na segunda (29), Dilma foi pessoalmente ao Senado apresentar sua própria defesa. Na terça (30), acusação e defesa fizeram suas alegações finais e os senadores discursaram até a madrugada desta quarta (31).

A votação foi aberta e feita pelo painel eletrônico, sem chamada nominal dos senadorea.

Dilma será notificada sobre a decisão, bem como o presidente interino Michel Temer. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), convocará então uma sessão do Congresso Nacional, a ser realizada na Câmara dos Deputados, para dar posse efetiva a Temer.

Do MSN Notícias