Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » O ficha suja Celso Russomanno lidera as intenções de votos para a prefeitura de São paulo, segundo o Datafolha

A menos de um mês para o início do pleito eleitoral e de três meses para a escolha do novo prefeito de São Paulo, o deputado federal Celso Russomanno, do PRB, lidera com 25% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha, divulgada nesta sexta (15). Os três seguintes candidatos são o resultado da diluição dos votos da ala menos conservadora da capital: Marta Suplicy (PMDB), com 16%, Luiza Erundina (PSOL), com 10%, e só então o atual prefeito, Fernando Haddad, com 8%.
 
Haddad é equiparado na pesquisa ao nome tucano João Doria, que tem 6%, considerado assim, empate técnico para a eleição municipal. Ainda, o antigo concorrente para as disputas internas do PSDB, Andrea Matarazzo (PSD), aparece mencionado por 3% dos eleitores ouvidos. E Marco Feliciano (PSC) por 4%. 
 
Ficha suja
 
O líder isolado das intenções de voto pode não conseguir disputar as eleições. Isso porque o deputado da Igreja Universal foi acusado de desvio de dinheiro público e seu caso está no Supremo Tribunal Federal (STF) para julgamento.
 
Russomanno já foi condenado pela Justiça Federal do Distrito Federal a dois anos e dois meses de prisão, que foram convertidos em penas alternativas, por ter nomeado entre 1997 e 2001, a gerente de sua produtora de vídeo (Night and Day Promoções) como funcionária de seu gabinete. 
 
Sandra de Jesus recebia, assim, o salário como assessora pela Câmara dos Deputado, mas não cumpria o cargo no Congresso, apenas trabalhando na empresa de Russomanno. O deputado recorreu da decisão, aguardando um posicionamento dos ministros do STF.
 
Russomanno nega a ilegalidade e afirma que a funcionária atendia consumidores em seu gabinete político em São Paulo, além de cuidar da emissão de passagens aéreas.
 
No dia 1o de julho deste ano, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, manifestou-se pela condenação do deputado do PRB por prática de peculato. Ainda, solicitou que o caso seja colocado de forma urgente na pauta de julgamentos do Supremo.
 
Se o Supremo confirmar a condenação de Celso Russomanno, ele será enquadrado na Lei da Ficha Limpa e estará impedido de concorrer à Prefeitura de São Paulo.
 
Novo cenário
 
Prevendo a possibilidade de quitar o deputado da Igreja Universal da disputa, o Datafolha também questionou aos entrevistados a preferência, caso não tivesse a opção de votar por Russomanno.
 
O resultado levou Marta Suplicy à liderança, com 21%, seguida por Erundina, com 13% e, em terceiro, o prefeito Fernando Haddad, com 11%. Doria estaria em quarto lugar, com 7%, seguido de Matarazzo e Feliciano, ambos com 5%.
 
Segundo turno
 
Em opções de segundo turno, a disputa entre Russomanno e os outros quatro candidatos ainda leva o deputado do PRB para a vitória, em porcentagens acima de 15 pontos sobre os rivais.
 
Na possibilidade de um segundo turno entre Haddad e Doria, é quase empate técnico: enquanto Haddad aparece com 30%, o tucano leva 34%.
 
Haddad enfrenta alta rejeição
 
Com os sete primeiros meses do ano mirando exaustivamente no processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff e na crise política e econômica no país, a imagem do prefeito da capital paulista foi afeta. Dos entrevistados, 45% afirmaram que não votariam em Haddad de jeito nenhum.
 
Feliciano é o segundo de maior rejeição: 32% afirmam que não votam nele. E, em terceiro, mas com a margem de erro gerando empate na desaprovação, contraditoriamente entra também uma das mais votadas: Marta Suplicy, que tem índice de 31% de rejeição. 

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply