Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » Como Serra e Aécio estão na Lava Jato, a vez agora no PSDB deverá ser de Geraldo Alckmin ou Marconi Perillo

A Operação Lava Jato, que ajudou a criar as condições para o impeachment da presidente Dilma Rousseff, pode também ajudar a definir o futuro imediato do PSDB. Até recentemente, os tucanos trabalhavam com duas candidaturas presidenciais para 2018: a do senador Aécio Neves (PSDB-MG), derrotado em 2014, e a de José Serra, batido em 2010. Corriam por fora o governador paulista Geraldo Alckmin, que cogitava até migrar para o PSB, e o governador goiano Marconi Perillo.

No entanto, o quadro poderá mudar radicalmente com as megadelações premiadas que devem ser homologadas nos próximos meses. Elas envolvem os dois maiores empreiteiros do País: Léo Pinheiro, da OAS, e Marcelo Odebrecht, da construtora que leva seu nome.

Já se sabe que Pinheiro e Odebrecht decidiram delatar Aécio Neves "com prazer", porque avaliam que o político mineiro foi oportunista ao criar um ambiente de instabilidade no País, que contribuiu para arruinar as empresas de construção pesada. Aécio é acusado de cobrar propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Minas Gerais, por meio de seu tesoureiro informal, o empresário Oswaldo Borges da Costa.

O senador mineiro, no entanto, não está sozinho. No domingo, soube-se que Serra também foi delatado por supostas propinas cobradas nas obras do Rodoanel. Lacônico, o chanceler interino se limitou a dizer que nunca autorizou ninguém a falar em seu nome.


Com os dois principais presidenciáveis tucanos abatidos pelos delatores, Alckmin se torna o favorito para conseguir a indicação tucana em 2018. No entanto, seu perfil político excessivamente direitistas, cria rejeições a seu nome – Alckmin é, segundo pesquisas, um dos nomes mais rejeitados pelos jovens brasileiros. Em razão disso, ele poderá acabar enfrentando a disputa de um outro governador tucano: Marconi Perillo, que também não foi atingido por delações.

Do 247

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply