Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » » A provável conversa entre Michel Temer e o ex-presidente Lula

Em sua coluna no site Os Divergentes, Helena Chagas fala sobre as possibilidades de conversas entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente interino Michel Temer, dizendo que o peemedebista diz, para interlocutores, que irá procurar o PT para conversar caso o impeachment seja confirmado. Ela também afirma que Lula tem dito a políticos próximos que Temer tem adotado um caminho correto na economia. "Pessoas próximas a ambos afirmam que falta pouco para que Lula e Temer se sentem para conversar – ainda que ninguém fique sabendo", diz Helena.
Para ela, dificilmente o impeachment deixará de ser confirmado no Senado, e tanto Lula quanto Temer já trabalham sob essa nova lógica. Na superfície, ambos deverão manter seus discursos - Lula falando sobre o golpe e Temer sobre a herança maldita. Helena também diz que Temer fica "profundamento incomodado" quando Dilma e o PT o chamam de golpista.
Leia a coluna abaixo:
Do Os Divergentes
 
Helena Chagas
 
Há recados de parte a parte, inclusive públicos. Michel Temer manda dizer por interlocutores diversos que, tão logo confirmado o impeachment, vai procurar a oposição – leia-se PT – para conversar. O ex-presidente Lula, por sua vez, diz aos políticos com quem conversa que Temer está fazendo tudo certo na economia e insinua que está afastado de Dilma Rousseff. Pessoas próximas a ambos afirmam que falta pouco para que Lula e Temer se sentem para conversar – ainda que ninguém fique sabendo quando e que, acima da linha da superfície, continuem trocando petardos.

Lula vai manter o discurso do golpe e sabe que sua única chance em 2018, se sobreviver políticamente até lá, é o fracasso do governo pós-petista, que fez opção preferencial pela centro-direita e vem desmontando pilares dos governos do PT. Temer, por sua vez, mantém o discurso da herança maldita e fica profundamente incomodado com as críticas de Dilma e do PT quando o chamam de golpista.
Mas as cartas políticas – embora não as policiais – já estão na mesa. Dificilmente o impeachment deixará de ser confirmado pelo Senado no final de agosto. E tanto Lula como Temer já trabalham sob essa nova lógica e de olho no futuro.
Lula até anunciou, pela enésima vez, um périplo pelo Nordeste esta semana contra o impeachment. Vai cumprir tabela, aproveitando mesmo a viagem para azeitar o futuro papel de líder da oposição em seu principal reduto – onde, por sinal, Temer vai mal. O ex-presidente há muito não se deixa fotografar ao lado de Dilma e nem a tem acompanhado nos eventos e viagens. Já está jogando lá adiante.
Se, aparente e publicamente,não há o que esses dois conversarem, abaixo da superfície há muito assunto. Lula e Temer nunca tiveram relações atritadas e sabem jogar o jogo. Acima de tudo, querem sobreviver até 2018 – um no governo, outro na oposição. Essa sobrevivência passa, para ambos, pela Lava Jato, pela herança petista e pelo controle dos movimentos sociais durante as reformas previdenciária e trabalhista que vêm por aí. Esse é só o aperitivo.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply