Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » » A onda golpista está solta no Brasil: Estão querendo derrubar o governo de Brasília para colocar um aliado do golpista Rogério Rosso

Derrubar governos que tenham dificuldade para formar maiorias no Legislativo pode se tornar uma moda no País, depois do mau exemplo que vem do plano federal, onde a presidente Dilma Rousseff está sendo vítima de um golpe parlamentar.
Quem também está na mira de forças golpistas locais é o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, segundo relata o jornalista Hélio Doyle, em sua coluna no Jornal de Brasília.
"Não passa despercebido a muitos auxiliares do governador que no início do ano foi detectada uma mobilização, de alguns deputados distritais e federais e dirigentes sindicais, para viabilizar o impeachment de Rodrigo Rollemberg. Animados pelo processo contra a presidente Dilma Rousseff, esse grupo conversava sobre como aproveitar a onda e fazer o mesmo aqui", diz ele. "O principal pretexto para o impeachment seriam possíveis irregularidades no Iprev, o instituto de previdência dos servidores. Outros motivos poderiam ser buscados, mas o importante era criar na cidade um ambiente profundamente negativo para Rollemberg, que o deixasse isolado e vulnerável."
Neste fim de semana, Rollemberg foi alvo das primeiras denúncias de seu governo, num grampo que envolveu o vice-governador Renato Santana, do PSD, que foi gravado por Marli Rodrigues, uma sindicalista da área da saúde. Na conversa, Santana fala de propinas na Secretaria de Fazenda do GDF e diz ter levado a denúncia a Rollemberg.
"Não foi sem motivo que, na conversa gravada por Marli Rodrigues, um dos participantes pergunta a Renato Santana se ele está preparado para assumir o governo", lembra Doyle, em sua coluna.
Rogério Rosso na cena
Coincidência ou não, Santana é ligadíssimo ao deputado Rogério Rosso (PSD-DF), que presidiu a comissão de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados e poderia estar interessado em repetir a trama no Distrito Federal.
Ironicamente, o PSB adotou uma posição ambígua em relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. Embora Rollemberg jamais tenha adotado uma posição favorável ao afastamento de Dilma, assim como o governador da Paraíba Ricardo Coutinho, o presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira, foi amplamente favorável ao golpe. Mas se a moda chegar ao Distrito Federal, Siqueira terá que adotar um novo discurso.
Do 247

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply