"O Maranhão falou que tem de ser coerente. Ele foi contra o impeachment de Dilma Rousseff por causa das pedaladas e que é contra esse também. Mas que tem ciência que tem de instalar a comissão por ser uma decisão judicial", afirmou Chico Alencar.

A assessoria de imprensa da Câmara, porém, nega que Maranhão tenha se comprometido a indicar os membros da comissão caso os líderes não o façam - alguns técnicos da Câmara inclusive defendem que não há essa previsão regimental. É confirmada apenas a informação de que ele vai conversar com os representantes dos partidos pedindo que deem continuidade à ação e formalizem os membros do colegiado.

Até o momento, apenas o PT, PCdoB, PEN, PDT, Rede, PSOL, PMB e PTdoB designaram deputados para discutir a ação contra Temer.

Temer é alvo de representação apresentada pelo advogado Mariel Márley Marra. O denunciante aponta que o peemedebista, assim como Dilma, cometeu crime de responsabilidade ao editar decretos de crédito de suplementação sem o aval do Congresso. Os atos foram praticados nos dias 26 de maio e 7 de julho de 2015, enquanto o peemedebista ocupava a função de presidente em exercício.

Do MSN Notícias