Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» » Agora, depois do golpe, o STF diz que não há impendimento de pessoas citadas na Lava jato para assumirem ministério

Do O Globo

Toffoli diz que nada impede que citados na Lava-Jato sejam ministros

Ao citar a Constituição, ministro do STF defende que todos são inocentes até serem condenados

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli afirmou nesta terça-feira, no Rio, que os ministros nomeados pelo presidente interino Michel Temer e citados na Operação Lava-Jato não estão impedidos de exercer a função. Toffoli não quis, no entanto, comentar a escolha dos nomes para os ministérios e a ausência de mulheres na equipe do primeiro escalão.

Na sexta-feira, levantamento do GLOBO mostrou que entre os ministros nomeados por Temer, nove estão envolvidos na Lava-Jato.

— Não cabe ao Judiciário opinar sobre as apões políticas feitas pelos que foram eleitos democraticamente. Isso quem tem que opinar é a sociedade como um todo — disse o ministro, em entrevista, antes do início do XXVIII Fórum Nacional, promovido pelo ex-ministro João Paulo Reis Velloso.

— A Constituição brasileira diz que a pessoa é inocente até que haja uma condenação formal pelo Poder Judiciário. Nada impede que aqueles que foram nomeados ministros exerçam o seu papel, atuem nas suas competências. Essa é uma opção do presidente que assumiu, de levar pessoas que ele entende que, naquilo que é o novo governo, são as pessoas preparadas para serem seus auxiliares — completou o ministro.

Toffoli disse também que só age de ofício e que, até agora, não houve provocação sobre o tema.

O ministro evitou comentar a decisão de seu colega, Gilmar Mendes, que suspendeu as investigações contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) menos de 24 horas depois de ter determinado a abertura de um inquérito contra o tucano.

— Não li o despacho, mas se ele o fez, fez com fundamento. Toda decisão judicial tem que ser fundamentada — afirmou.

Toffoli determinou a instauração de inquérito contra o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por supostas irregularidades em Furnas, e autorizou o início da coleta de provas. O ministro contou que Cunha pediu para ser ouvido e que isso será feito, embora ainda não tenha data prevista.

Promovido pelo Instituto Nacional de Altos Estudos, O XXVIII Fórum Nacional reune, até o dia 19, políticos e intelectuais para debater saída da crise econômica. Em discurso, o ministro do Planejamento, Romero Jucá, foi um dos que abriu o evento, afirmando que a divergência entre o presidente interino Michel Temer e o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sobre a indicação do procurador geral da República está “superada”.


«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

11 comentários:

  1. Da nojo de ouvir as declarações desses ministros do STF que só cumprem as leis e a Constituição quando é pra beneficiar os amigos corruptos. Cria vergonha Ministro, deixa de ser parcial e seletivo, esse não é o seu dever.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Pau que bate em chico não bate em Francisco. ..isso e Brasil

    ResponderExcluir
  4. E assim se ensina aos brasileiros como ser honesto e justo. Está 'e a justiça no Brasil, embotada nos meandros do poder, acolhe o que convém ao sustento da Casa Grande. E a senzala que se foda!

    ResponderExcluir
  5. ATE TU "BRUTOS"SE V.EXA.TIVESSE A MESMA LEALDADE PELO PARTIDO QUE TE NOMEOU(PT) COMO O MINISTRO MENDES TEM PELO "PSDB"NAO HAVERIA "GOLPISTAS" NEM "IMPEACHMENT".

    ResponderExcluir
  6. ATE TU "BRUTOS"SE V.EXA.TIVESSE A MESMA LEALDADE PELO PARTIDO QUE TE NOMEOU(PT) COMO O MINISTRO MENDES TEM PELO "PSDB"NAO HAVERIA "GOLPISTAS" NEM "IMPEACHMENT".

    ResponderExcluir
  7. Canalhas, vendidos, corruptos da pior especie. Temos que nos manifestar em massa em frente ao STF e exigir o impeachment dessa corja de ladroes togados que vivem sugando o sangue do povo brasileiros com seus salarios exorbitantes e todas as mordomias que possuem pagas por um povo sofrido, sugado de todos os lados e que nao temos sequer o direito de ter o representante que escolhemos na presidencia da nacao.

    ResponderExcluir