Slider

Opinião

Política

Notícias

Economia

Esporte

» »Unlabelled » Por que a saúde pública no Brasil é tão ruim?

A oferta de serviços de saúde pública do Brasil tem se revelado de baixíssima qualidade e em quantidade inadequada para atender a população, notadamente, a população pobre. Quantas vezes temos visto pela grande mídia relatos e imagens que nos deixam indignados e revoltados com falta de estrutura física e humana para atender as pessoas? Certamente, muitas vezes. Quem tem um plano de saúde privado passa pelo mesmo problema? O Brasil gasta de forma adequada com a saúde dos brasileiros?


Os gastos com saúde no Brasil são gigantescos, entretanto, a carência de recursos médicos ainda persiste, notadamente nas regiões mais distante dos grandes centros e nas periferias das grandes cidades brasileiras. O Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) realizou um estudo no qual comparou os gastos com saúde de diversos países. No Brasil são gastos 7,6% do PIB por anos com saúde, destes, 45,6% é do setor público e o restante corresponde aos gastos do setor privado. Aliás, no Brasil, o setor privado cobre, por meio de planos de saúde, atendimentos avulsos, hospitais e outras formas, cerca de 48 milhões de pessoas, gerando uma receita anual de aproximadamente US$ 27,2 bilhões. Em comparação com outros países, o Brasil está em uma posição intermediária. Os Estados Unidos gastam 15,2% do PIB, sendo 44,6% do setor público; na Alemanha são essas proporções são 11,1% e 78,2%; no Canadá são 9,9% e 69,9%; México são 6,2% e 46,4%; Argentina são 8,9% e 48,6%; no Chile são 6,1% e 48,8%. A média do conjunto dos países da América Latina são de 6,7% do PIB com gastos com saúde sendo que 54,4% deste gastos corresponde ao gasto público, na média dos países considerados ricos tem-se 10,8% do PIB com gastos de saúde com a participação do setor público sendo de 68,2%.


Observa-se dos números acima que nos países mais ricos apesar de a renda média ser muito superior à renda do Brasil gastam em termos percentuais com saúde muito mais que o Brasil gasta. Além disso mais da metade dos serviços médicos é pago pelo setor privado, embora muitos desses gastos privados acabam se tornando do setor público em razão das isenções descontos no imposto de renda. O Brasil gasta mais do que a média dos países da América Latina, entretanto, a participação do setor público é menor. Na comparação com os países ricos, então no Brasil temos consideravelmente menos gastos com saúde (em termos do PIB e de valor absoluto) e muito menos participação do setor público nos gastos totais com saúde.


Isso tem levado ao programa público de saúde, o Programa Único de Saúde (SUS), a atender quase que exclusivamente as pessoas mais pobres, visto que até mesmo a grande maioria das pessoas que trabalham em fábricas e em empresas em geral estão cobertas por algum plano de saúde privado. Ficam para serem atendidas pelo programa do governo as pessoas que não possuem nenhum plano privado, correspondendo geralmente as pessoas desempregadas, as subempregadas, os aposentados e as pessoas empregadas de pequenas empresas. Esse universo de pessoas apesar de constituir em uma grande quantidade tem muito pouca visibilidade e respeitabilidade entre os formadores de opinião e as autoridades responsáveis pela oferta de saúde pública para que suas vozes de reclamos sejam ouvidas por esses. Esse é o principal motivo pelo qual a saúde pública é tão caótica em nosso país, ou seja, as nossas autoridades brasileiras e a sociedade não dão a atenção devida para as pessoas que precisam dos atendimentos médicos do setor público. Quando as próprias pessoas que utilizam a saúde pública se organizarem de forma eficaz e sistemática, criando um movimento firme e forte, então os gastos com a saúde irão aumentar significativamente e a qualidade e a quantidade dos serviços de saúde pública no Brasil aumentaria bastante e as pessoas seriam atendidas com muito mais dignidade e respeito nos hospitais e postos de saúde públicos em todo o nosso país.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

33 comentários:

  1. Amigo Francisco,
    Com msuas brilhantes postagens,sempre comprometidas com a evolução da sociedade,podemos constatar que elas tem uma linha bem lógica,mostram que para que alcacemos uma evolução,precisamos de um maior comprometimento por parte da sociedade,nesta postagem mesmo,podemos extrar a sintese de que o dinheiro existe,ele é liberado,mas sempre fica pelo caminho,nesses sucessivos escândalos de corrupção,na falta de mão de obra qualificada,na ausência de fiscalização,acredito que o caminho é unico,temos que participar mais,afinal,um pais forte é composto de um povo também forte.
    Um grande abraço,amigo.

    ResponderExcluir
  2. Olá Francisco,

    Fico sempre inconformada com o serviço público. Você colocou uma visão economica do problema e eu vou adicionar o lado humano. Fico indignada quando sei que as pessoas precisam chegar todas a mesma hora nos Postos de Saúde, quando elas já foram com antecedência marcar um horário, por que sem esse agendamento prévio elas não conseguem ser atendidas. Portanto: vão antes para agendar um horário. Depois devem chegar antes para garantir o horário e não se atrasarem para a consulta.
    O que me pergunto sempre é o seguinte: se o paciênte tem responsabilidade suficiente para agendar a consulta, para chegar uma hora antes, esperar o médico que só chega após o horário da primeira consuta, por que ele não pode chegar no horário da consulta?
    Por que ele tem que perder um dia de serviço? O que faz dele um incompetente na hora de ser atendido? Qual a razão de ser mal tratado, punido, por que necessita de um serviço médico?
    Essas são minhas dúvidas. Espero ter passado com clareza a você.
    Marisa.

    ResponderExcluir
  3. Olá gostaria de deixar meu testemunho de que as duas veses em que precisei do INCOR (SUS)fui atendido e salvo por esse sistema que muitos reclamam,gostaria tambem de dixar meus agradecimentos aos medicos e enfermeiras que me atenderam com tanto carinho.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Ola Francisco ! Excelente texto a respeito da saúde pública no Brasil !

    O investimento na saúde pública no Brasil é o mesmo nos últimos 15 anos. A conclusão é da (FIA), fundação Instituto de Administração, ligada á USP. A pesquisa analisou os investimentos em saúde em seis países da América Latina : Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México e venezuela. O Brasil gasta U$$ 280anuais por pessoa em saúde. O valor está acima da média registrada na América Latina, mas não chega á metade da média mundial, que é de U$$ 806 per capita. Quando considerada a relação entre valor de arrecadação e valor investindo , os gastos brasileiros equivalem à metade dos gatos registrados nos vizinhos latino-americanos.

    ResponderExcluir
  5. Continuação >>>>> O brasil tem apresentado os piores resultados do grupo em indicadores básicos, como a mortalidade infantil e a expectativa de vida.
    Para os coordenadores da pesquisa, a estagnação dos investimentos é preocupante, principalmente diante do envelhecimento da população. A solução para os pesquisadores é melhorar os recursos para o setor, como também melhorar a gestão. O único pais que aumetnou o investimtno per capita foi o méxico, U$$ 100 ( invest. em saúde nos últimos 15 anos (segundo a FIA)

    ResponderExcluir
  6. Senhor Francisco Castro concordo com tudo que o senhor coloca,acrescento mais;o dia que vermos políticos de qualquer esfera,se tratando em hospital e/ou posto de saúde,seus filhos estudando em escola pública do ensino fundamental ao médio,quem sabe tudo melhore neste país? Uma MELHOR aplicação dos recursos públicos,as pessoas cobrando,fiscalizando e denunciando esses caras de madeira que andam por este país.Falta política de saúde e educação,chega de política na saúde e na educação pública deste país.Parabéns por suas colações.

    ResponderExcluir
  7. Olá Francisco,
    Muito interessante sua postagem. Me ajudou bastante a defender minha tese sobre a saúde publica do Brasil!
    Você está de Parabéns! Obrigado!
    Abraços...

    ResponderExcluir
  8. Oi Francisco
    A saude publica realmente merece mais atencao pois sao muitos os casos de mortes por falta de atendimento e quando sao atendidos vao parar nos corredores dos hospitais. espero q vc continui mostrando a realidade da saude publica.

    ResponderExcluir
  9. a saúde publica no brasil é desvalorizada,nem sempre o problema esta na rede de saude

    ResponderExcluir
  10. Olá Francisco;
    brilhante a sua correlação feita entre a precariedade da saúde pública no Brasil e a falta de atitude da sociedade em cobrar seus direitos, é verdade que o SUS visa a atender as pessoas mais carentes financeiramente e que essas muitas vezes não expõem as suas insatisfações ou quando expõem não são levadas em consideração, é importante lembrar que infelizmente algumas pessoas pensam que por que é ¨"público" devem aceitar qualquer serviço, esquecem que pagamos altos impostos e devemos por isso ter um serviço de qualidade.

    ResponderExcluir
  11. Muitto comentar sobre esse assunto,depois do que você escreveu,seria realizar superposição de assuntos.É correto o descrito no seu artigo,amigo.Lamentavelmente,pode-se repetir a frase de Carlos Chagas,em relação a doença por ele descoberta: " É UMA VERGONHA NACIONAL" !!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Muito comentar sobre esse assunto,depois do que você escreveu,seria realizar superposição de assuntos.É correto o descrito no seu artigo,amigo.Lamentavelmente,pode-se repetir a frase de Carlos Chagas,em relação a doença por ele descoberta: " É UMA VERGONHA NACIONAL" !!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. a precariedade na saude publica não se trata de falta de recursos mais falta de resposabilidade dos governantes porque o ministro da saude ganha o suficiente para isso.

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito dos artigos de seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática online.Emily Nascimento

    ResponderExcluir
  15. Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Melissa.

    ResponderExcluir
  16. Recursos tem,oque falta são pessoas com comprometimento com a saude do povo brasileiro,pessoas capazes de jerir esses recursos com objetivo e honestidade.

    ResponderExcluir
  17. Olá, Francisco!
    Sou médica e trbalho nos 2 setores de saúde - o público e o privado. Concordo qdo vc diz q a saúde pública trata dos que não tem voz pública e isso é assim por dizer o que desgraça a saúde pública, mas o problema vai além, é tb interesse de uma minoria que enriquece as custas de planos de saúde que prestam serviços cada vez piores, que a saúde pública seja sucateada, gerando um desespero coletivo e fazendo com que as pessoas aceitem pagar por qq assistência privada ainda que de péssima qualidade.
    Isso só acaba o dia que o médico entender que seu trabalho é cada vez mais desvalorizado, para que terceiros lucrem, e pacientes entendam que todas pagamos impostos caros para que um Sistema Unico de Saúde atenda a todos, pobres e ricos e com mta qualidade, a mesma que erradicou a poliomielite no Brasil, a que forma médicos que estão entre os melhores do mundo, a que é modelo para mtos paises em tratamento de HIV...
    Obrigada como profissional de saúde e cidadã, pelo interesse sobre um assunto árido nos dias atuais.
    Att, Vívian Marino.

    ResponderExcluir
  18. Sinceridade?
    É explícita a falência da saúde pública, só não há um caos pois os que podem pagam um planozinho por mais mixuruca que seja.
    Pode parecer deboche de minha parte, mas se o governo simplesmente acabar com o serviço público de saúde e fornecer uma quantia mensal de 200,00 para cada cidadão escolher o plano que lhe convier seria muito mais sensato.
    Afinal já não se faz isso com o bolsa-família? Então, o governo não poderia pagar a mesma quantia de um bolsa-família para cada pessoa pobre ter seu plano de saúde?
    Veja só, ao invés de termos um verdadeiro exército de médicos como servidores públicos absolutamente insatisfeitos, estes estariam livres para montar seu próprio consultório e firmar convênio com os planos que lhes convierem. Garanto-lhes que os médicos trabalhariam muito mais satisfeitos e com remuneração tremendamente superior. Os pacientes de famílias pobres se dariam ao luxo de escolher seu próprio médico sem muita burocracia. Não é o paraíso na terra, mas melhor do que essa coisa chamada serviço público de saúde, garanto que iria ficar.

    ResponderExcluir
  19. É totalmente pertinente o comentário de Francisco,corroborado por Marcelo.O atual raquitismo do SUS,a falta de empenho do Ministério da Saúde e da Gestora do nosso país,somados a um esfacelamento pre-estabelecido do Sistema de Saúde do Brasil, criou e está mantendo essa péssima assistência à saúde,notadamente às camadas socioeconômicas mais baixas.Falta compromisso onde os grandes discursos passem verdadeiramente ààs práticas mais elementares,porem úteis a serem verdadeiramente, aplicadas na saúde pública deste nosso rico-pobre Brasil.Argumentar sobre os tais planos de saúde é o mesmo que "chover no molhado".Interesses enormes de figurões politicss nesse campo é lastimável.
    Abraços à todos que conseguem repudiar esse cenário que aí se encontra.

    ResponderExcluir
  20. Unidade de referência em atendimento infantil segue fechada em São João de Meriti !

    http://deputadobrunocorreia.blogspot.com/2011/07/unidade-de-referencia-em-atendimento.html

    ResponderExcluir
  21. Quero deixar aqui meu descontentamento com a saúde neste país. O que me deixa assustada, é que hoje percebo que a falta de estrutura, organização e comprometimento com a saúde está nos dois setores(setor privado e público) !!! Por uns dias desses ajudei tanto minha mãe como um pai de uma amiga minha a utilizar o atendimento tanto no setor privado quanto no público. E pasmem, são quase iguais !!! A pessoa paga um plano, mas tem que ficar o dia inteiro numa fila pra ser atendido pq não há muitos lugares conveniados e tem que se submeter aquele lugar que vive cheio, e quando é atendido leva menos de 5 min uma consulta pq tem muita gente pra ser atendida. No setor público é pior ainda, há fila que não sabe se será atendido !!! A pessoa é obrigada a ficar doente e rezar muito pra ter sorte de ficar vivo !!! Faço aqui uma proposta : Pq nesse país, não param de cobrar tantos impostos que não são investidos na saúde ou que são desviados, e se faça um planejamento sério para
    o cidadão pagar um valor "mediano" num atendimento no SUS e no setor privado ? Algo que pudesse realmente funcionar e que "todos" pudessem ter acesso e ficarem satisfeitos. Pq vida, saúde, minha gente é o principal bem que a pessoa deve ter !!! E o resto é secundário !!! O que adianta estar doente, se não se pode nem se mover ???!!!

    ResponderExcluir
  22. Corroboro com tudo o que é citado no comentário.Parabens !

    ResponderExcluir
  23. BLOG ATUALIZADO !!!

    O Deputado Solicita a Criação de Unidades Públicas - Clínicas de Saúde

    http://deputadobrunocorreia.blogspot.com/2011/09/indicacao-legislativa-o-deputado.html

    ResponderExcluir
  24. vlw ai eu tava mesmo precisando dese blog pra um trabalho q estou fazendo vlw 06/03/12

    ResponderExcluir
  25. vlw ai eu tava mesmo precisando dese blog pra um trabalho q estou fazendo vlw 06/03/12

    ResponderExcluir
  26. Éredundância, Francisco,mas vou te parabenizar novamente,por muis um lúcido comentário so a desgastada Saúde Pública deste nosso paísJose Marcolino,Sanitarista
    Caruaru-PE

    ResponderExcluir
  27. falando se em saude publica percebe-se a falta de compromisso e planejamento dos poderes governamentais em relaçao a classe pobre.comentario (acs) Ariene.

    ResponderExcluir
  28. falando se em saude publica percebe-se a falta de compromisso e planejamento dos poderes governamentais em relaçao a classe pobre.comentario (acs) Ariene.

    ResponderExcluir
  29. Nós podemos fazer alguma coisa.

    A Pastoral da criança está coletando 1 milhão e 500 mil assinaturas para enviar um projeto de lei para votação na Câmara dos Deputados visando aumentar o repasse de verbas para a Saúde Publica e também maior transparência no repasse destas verbas.

    Mais informações no site da Pastoral:
    https://www.pastoraldacrianca.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1405:pastoral-da-crianca-participa-do-movimento-nacional-em-defesa-da-saude-publica-&catid=46:nacionais&Itemid=38

    Existe também esta petição que pode ser assinada online e que será entregue para a Pastoral da Criança para enviar junto com as assinaturas:
    http://www.avaaz.org/po/petition/Aumentar_a_oferta_e_a_qualidade_dos_servicos_publicos_de_saude_no_Brasil/

    Apoiem, a saúde publica precisa de nós

    ResponderExcluir
  30. boa noite!
    Venho através desse espaço expor minha indignação com a saúde pública do Brasil!!!!!!!!!!!

    Hoje não conseguir atendimento em nenhum hospital público aqui na capital do estado de Pernambuco "Recife".

    Com muito pesar venho expor que a saúde pública no estado de Pernambuco é uma vergonha. Na capital pernambucana se alguém necsessitar de atendimento hospitalar de urgência fica vagando ent
    re UPAs e Policlínicas pois não existe médicos nessas unidades de prontoatendimento.

    Você não consegue médico nem na capital pernambucana nem na Cidade patrimônio histórico "Olinda".

    Relato que hoje por volta das 16:30h a UPA de Olinda não tinha médico e o plantão do próximo servidor estaria prestando atendimento apenas no dia seguinte. Naquele local que deveria prestar um atendimento de urgência principal de Olinda não tinha nenhum médico de plantão. Fomos orientados a seguir para o hospital de Olinda - Tricentenário que fica na cidade alta " ponto turístico principal de Olinda". Para minha surpresa o hospital de referencia da cidade estava sem médico para atendimento , além do mais estava fechado pois nãoi tinha nenuma pessoa para dar maiores explicações. Quando estava saindo sem saber para onde seguir com um paciente necessitando de atendimento de urgência, fomos orientados por taxista local seguir para Recife uma policlínica mais próxima seria a policlínica de Campina do Barreto. Porém ao chegar nesse local de referência em atendimento pois fica localizado mais próximo de Olinda, novamente não tinha nenhum médico. E o pior foi não ser necessário nem descer no carro, pois quando paramos o veículo o vigilante local já infromava que não tinha médico para nehum tipo de atendimento. Recebemos a seguinte orientação pelo funcionário para seguir até a UPA do Brejo, que fica do outro lado da cidade do Recife. Ressaltando que hoje é feriado na capital pernambucana e acontece um evento justamente na avenida principal que liga o caminho da policlínica até a UPA do Brejo. Por não conseguir atendimento de urgência retornamos para Olinda sem ser atendido.

    Fica uma pergunta que necessitamos de uma resposta.
    ---Onde fica os impostos pago por nós contribuintes que destinado a saúde pública????????????????????????

    Agora me vejo numa capital que será sede da COPA DO MUNDO 2014, que não existe saúde pública !!!!!!!!!!!!!

    E os governantes prometendo ter uma UPA em cada bairro ......
    Agora meus queridos governantes, para quê ter uma UPA em cada bairro se não tem o principal MÉDICO para efetuar apenas um atendimento de urgência?????????????????

    ResponderExcluir
  31. Bom dia, Francisco.
    Estudo Biomedicina e temos uma matéria chamada "Epidemiologia e Saúde Pública". É de se espantar o tanto que se sabe sobre os erros e injustiças do nosso sistema público de saúde (apesar de ser reconhecido como o melhor do mundo, só não me pergunte como) e nada se faz ou se pode fazer... Você já assistiu um documentário chamado SICKO - SOS Saúde? Ele aborda a realidade do sistema de saúde norte americano, porém se encaixa em muitos aspectos com o nosso. Gosto da reflexão que é feita ao final do filme: muitas pessoas não trabalham para o bem dos outros, mas somente para o seu. Existem sistemas maravilhosos ao redor do mundo, de onde poderíamos "copiar" várias ideias, mas nada é feito para se melhorar. A visão de que o SUS é para pobres é totalmente errada. Todos deveríamos usufruir do SUS (apesar de acharmos que não usamos o SUS, usamos para tudo, como vigilância sanitária, UTI móvel, etc) nos hospitais e UBSs (postos de saúde) para então nos darmos conta do que é precisar de algo e vermos o dinheiro ir para bolso de um e de outro... A nossa realidade não é só ruim. É triste.
    É um ótimo artigo, porém você abordou somente o aspecto econômico/social, há coisas muito piores quando se olha pelo lado humano de quem precisa usar o Sistema. Parabéns e continue escrevendo sobre saúde. Precisamos de uma conscientização geral da população. Obrigada, Izadora.

    ResponderExcluir
  32. BINGO ! Dra Vivian Marino, a senhora está também de parabéns pelo comentário !! A máfia na medicina brasileira está justamente no interesse em sucatear o serviço médico público para obrigar a pessoa ferrada a pagar a qualquer um que ofereça um atendimento. Esse é o mistério que envolve o péssimo atendimento no SUS. Parabéns, Doutora !!

    ResponderExcluir
  33. Saúde pública, se melhorar estraga.Estraga a vida de médicos que querem ganhar dinheiro às custas de um povo que na esperança de ser melhor atendido acaba procurando um serviço de saúde alternativo e também não são bem atendidos.Estraga a lucratividade dos hospitais e clínicas particulares.Sem querer generalizar,acho que a classe médica hoje não quer tratar das pessoas que precisam de ajuda e fazem da saúde uma grande fonte de renda.Não acho que o problema seja os honorários do SUS e sim, querem ganhar muito dinheiro.De nada vale o juramento que fazem a menos que seja muito bem pago e olhe lá...

    ResponderExcluir